Fast-Slow

o paradoxo do cenário têxtil-confecção-moda

Autores

  • Felipe Guimarães Fleury
  • Mirtes Marins de Oliveira

DOI:

https://doi.org/10.26563/dobras.i32.1365

Palavras-chave:

Indústria da Moda, Sociedade de Consumo, Moda Rápida, Moda Lenta, Moda Circular

Resumo

O objetivo do artigo, a partir de pressupostos ideológicos que sustentam os movimentos de moda fast-fashion e slow fashion, é analisar os discursos construídos acerca da obsolescência de produtos de moda sob a ótica dos sistemas de produção linear e circular relacionados à significação do paradoxo Fast-Slow. Tais análises não se limitam a negar o fast-fashion e afirmar o slow fashion como possível alternativa à obsolescência. Conforme Weber (1999), o entendimento das questões subjetivas e empíricas desses fenômenos sociais levam ao interesse preliminar de repensar a própria estrutura do cenário têxtil-confecção-moda e sua organização social e ambiental para rever os desafios futuros. Ainda como base teórica, utiliza-se Berlim (2015), Fletcher e Grose (2011), Kazazian (2005), Minney (2016) e Salcedo (2014) a fim de fundamentar as perspectivas de um possível caminho para a atuação ética do profissional de moda em uma sociedade de consumo com vistas à transição do modelo econômico linear para o circular com maiores conhecimentos sobre desenvolvimento sustentável.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Felipe Guimarães Fleury

Doutorando em Design pela Universidade Anhembi Morumbi. Docente de Graduação e Pós-Graduação em cursos de Moda (Design e Negócios) pela Universidade Anhembi Morumbi / Têxtil e Moda pela Escola SENAI-SP.

Mirtes Marins de Oliveira

Pós-Doutorado em Educação pela Universidade de São Paulo. Mestre e Doutora em Educação: História, Política, Sociedade pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Docente do Programa de Pós-Graduação em Design – Mestrado e Doutorado pela Universidade Anhembi Morumbi.

Referências

BATTY, Lesley; HALLBERG, Kevin. Ecology of industrial polution: concepts and application to industrial ecology. Nova York: Cambridge University Press, 2010. 350 p.

BAUDRILLARD, Jean. Sociedade de consumo. Lisboa: Edições 70, 1995. 221 p.

BAUMAN, Zygmunt. A cultura no mundo líquido moderno. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2013. 112 p.

BAUMAN, Zygmunt. Vida para consumo: a transformação das pessoas em mercadoria. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2008. 200 p.

BERLIM, Lilyan. Moda e sustentabilidade: uma reflexão necessária. São Paulo: Estação das Letras e Cores, 2015. 159 p.

BOCKEN, Nancy M. P.; PAUW, Ingrid de; BAKKER, Conny; GRINTEN, Bram van Der. Product design and business model strategies for a circular economy. Journal of Industrial and Production Engineering, [S.L.], v. 33, n. 5, p. 308-320, 26 abr. 2016. Informa UK Limited.

BRASIL. Ministério da Economia. Competitividade Industrial. Integração Produtiva e Competitividade Internacional. Conceituação (portaria da internet). Diário da União 13 dez. 2017. Disponível em: http://www.mdic.gov.br/index.php/competitividade industrial/acoes-e-programas-11/conceituacao. Acesso em: 29 out. 2020.

BRAUNGART, Michael; MCDONOUGH, William. Cradle to cradle: criar e reciclar ilimitadamente. 1. ed. São Paulo: G. Gilli, 2013. 192 p.

CIETTA, Enrico. A Revolução do fast-fashion: estratégias e modelos organizativos para competir nas indústrias híbridas. 2. ed. São Paulo: Estação das Letras e Cores, 2012. 267 p.

DEBOM, Paulo. Worth, o precursor da alta-costura. dObra[s] – Revista da Associação Brasileira de Estudos de Pesquisas em Moda, [S.L.], v. 10, n. 21, p. 80-98. Disponível em: http://dx.doi.org/10.26563/dobras.v10i21.555. Acesso em: 18 maio 2017.

EDELKOORT, Lidewij (2014). Anti-Fashion Manifesto by Lidewij Edelkoort. Disponível em: http://www.edelkoort.com/shopping/sampleproduct/manifesto bylidewij-edelkoort/. Acesso em: 6 junho 2020.

EDELKOORT, Lidewij (2019). Lidewij Edelkoort: A frightening but oh so exciting future. Disponível em: https://tlmagazine.com/lidewij-edelkoort-a-frightening-but-oh-soexciting- future/. Acesso em: 6 jun. 2020.

FASHION REVOLUTION. Semana Fashion Revolution 2019. Disponível em: https://www. fashionrevolution.org/south-america/brazil/. Acesso em: 6 jun. 2020.

FLETCHER, Kate; GROSE; Lynda. Moda e sustentabilidade: design para mudança. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2011.

FLETCHER, Kate. Sustainable fashion and textiles: design journeys. 2. ed. Abingdon: Routledge, 2014. 288 p.

FOUNDATION, Ellen MaCarthur; FORUM, World Economic; COMPANY, McKinsey &. Towards the circular economy Vol. 3: accelerating the scale-up across global supply chains. Accelerating the scale-up across global supply chains. 2014. Disponível em: https:// www.ellenmacarthurfoundation.org/publications/towards-the-circular-economy-vol-3- accelerating-the-scale-up-across-global-supply-chains. Acesso em: 9 dez. 2020.

FOUNDATION, Ellen MaCarthur. Towards the circular economy Vol. 1: an economic and business rationale for an accelerated transition. 2012. Disponível em: https://www. ellenmacarthurfoundation.org/publications/towards-the-circular-economy-vol-1-aneconomic- and-business-rationale-for-an-accelerated-transition. Acesso em: 26 jan. 2021.

GEREFFI, Gary; KORZENIEWICZ, Miguel. Commodity chains and global capitalism. Londres: Greenwood Press, 1994. 331 p.

GEREFFI, Gary. Global value chains and development: redefining the contours of 21st century capitalism. Cambridge: Cambridge University Press, 2018. 474 p. Disponível em: https://doi.org/10.1017/9781108559423. Acesso em: 27 nov. 2019.

HAIGH, Martin. Greening the University Curriculum: appraising an international movement. Journal of Geography in Higher Education, [S.L.], v. 29, n. 1, p. 31-48, mar. 2005. Informa UK Limited. http://dx.doi.org/10.1080/03098260500030355.

HARVEY, David. Condição pós-moderna: uma pesquisa sobre as origens da mudança social. 17. ed. Tradução de: Adail Ubirajara Sobral e Maria Stela Gonçalves. São Paulo: Loyola, 2008. 349 p. HARVEY, David. Condição pós-moderna. São Paulo: Edições Loyola, 1992. 352 p.

KAZAZIAN, Thierry (Org.). Haverá a idade das coisas leves: design e desenvolvimento sustentável. Tradução de: Eric Roland Rene Heneault. São Paulo: Senac São Paulo, 2005. 196 p.

LIPOVETSKY, Gilles; CHARLES, Sébastien. Os tempos hipermodernos. São Paulo: Edições 70, 2011. 136 p.

LIPOVETSKY, Gilles. A felicidade paradoxal: ensaio sobre a sociedade de hiperconsumo. Tradução de: Maria Lucia Machado. São Paulo: Companhia das Letras, 2007. 408 p.

LIPOVETSKY, Gilles. O império do efêmero: a moda e seu destino nas sociedades modernas. São Paulo: Companhia das Letras, 1987. 322 p.

MAFFESOLI, Michel. No fundo das aparências. Tradução de: Bertha Halpern Gurovitz. Petrópolis: Vozes, 1994. 350 p.

MANZINI, Ezio; VEZZOLI, Carlo. O desenvolvimento de produtos sustentáveis: os requisitos ambientais dos produtos industriais. São Paulo: Edusp, 2002. 368 p.

MATTHES, André; BEYER, Katja; CEBULLA, Holger; ARNOLD, Marlen G.; SCHUMANN, Anton (Org.). Sustainable textile and fashion value chains: drivers, doncepts, theories and solutions. Springer International Publishing, 2021.

MCDOUGH, William; BRAUNGART, Michael. Cradle to cradle: criar e reciclar ilimitadamente. Tradução de: Frederico Bonaldo. Barcelona: Gustavo Gilli, 2014. 192 p.

MINNEY, Safia. Slow Fashion: aesthetics meets ethics. Inglaterra: New Internacionalist Publications Ltd., 2016.

MORAES, Dijon de. Metaprojeto: o design do design. São Paulo: Blucher, 2010. 256 p.

PORTER, Michael E. The competitive advantage of nations. New York: Free Press, 1998. p. 70-222.

SALCEDO, Elena. Moda ética para um futuro sustentável. Tradução de: Denise Fracalossi. Barcelona: Gustavo Gilli, 2014. 127 p.

VINCENT-RICARD, Françoise. As espirais da moda. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1989. 249 p.

WEBER, Max. Sociologia do direito. In: WEBER, Max. Economia e sociedade: fundamentos da sociologia compreensiva. Direito oficial e estatuto principesco patrimonial. As codificações. Tradução de: Regis Barbosa e Karen Elsabe Barbosa. Brasília: Universidade de Brasília, 1999. Cap. 6, p. 121.

WORLD ECONOMIC FORUM (Suíça). The limits of linear consumption. Disponível em: http://reports.weforum.org/toward-the-circular-economy-accelerating-the-scale-upacross- global-supply-chains/the-limits-of-linear-consumption/?doing_wp_cron= 15138326 20.8095760345458984375000#view/fn-2. Acesso em: 26 jan. 2021.

Downloads

Publicado

2021-08-03

Como Citar

FLEURY, F. G.; OLIVEIRA, M. M. de. Fast-Slow: o paradoxo do cenário têxtil-confecção-moda. dObra[s] – revista da Associação Brasileira de Estudos de Pesquisas em Moda, [S. l.], n. 32, p. 20–40, 2021. DOI: 10.26563/dobras.i32.1365. Disponível em: https://dobras.emnuvens.com.br/dobras/article/view/1365. Acesso em: 24 set. 2021.

Edição

Seção

Dossiê