A hora do Brasil: novas percepções sobre o consumo e a ressignificação do artesanato do Ceará

Pedro Renan de Oliveira, Francisca Raimunda Nogueira Mendes

Resumo


O mundo globalizado pressupõe a produção massificada. Na contramão desse sistema, existe uma tendência à valorização de técnicas manuais na confecção de objetos. Novas ações na área do design1 e da moda são estimuladas, visando à produção de bens com identidade cultural e com aspectos atrativos ao mercado. Esse foi o caso do projeto A hora do Brasil, realizado no ano de 2012 em Fortaleza, que buscou a ressignificação do artesanato por meio da união de profissionais e artesãos locais. Com a análise da coleção produzida, bem como do catálogo e de vídeos e matérias em sites especializados, busca-se entender como o artesanato pode ser, hoje, objeto de desejo, além de elemento de diferenciação em meio à cultura de consumo de massa.


Palavras-chave


artesanato; globalização; design; consumo.

Texto completo:

PDF

Referências


AKATU, Instituto. Descobrindo o consumidor consciente. 2005. Disponível em: http://www.akatu.org.br/Content/Akatu/Arquivos/file/Publicacoes/24-consum.pdf. Acesso em: 10 set. de 2014.

AVELAR, Suzana. Moda, globalização e novas tecnologias. 2. ed. São Paulo: Estação das Letras e Cores Editora, 2011.

_____________. A cultura no mundo líquido moderno. Rio de Janeiro: Zahar, 2013.

BAUMAN, Zygmunt. Globalização: as consequências humanas. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1999.

BAUDRILLARD, Jean. A sociedade de consumo. Lisboa: Edições 70, 2008.

BORGES, Adélia. Design + artesanato: o caminho brasileiro. São Paulo: Terceiro Nome, 2011.

CALDAS, Dario. Observatório de sinais: teoria e prática da pesquisa de tendências. Rio de Janeiro: Senac Rio, 2006.

CARVALHAL, André. A moda imita a vida: como construir uma marca de moda. São Paulo: Estação das Letras e Cores, 2014.

DALPRA, Patrícia (Org.). DNA Brasil: tendências e conceitos emergentes para as cinco regiões brasileiras. São Paulo: Estação das Letras e Cores, 2009.

DINIZ, Cláudio. Mercado do luxo no Brasil: tendências e oportunidades. São Paulo: Seoman, 2012.

FERREIRA, Ângela Sá; NEVES, Manuela; RODRIQUES, Cristina. Design e artesanato: um projeto sustentável. Redige, v. 3, n. 1, 2012.

FLETCHER, Kate; GROSE, Lynda. Moda & sustentabilidade: design para mudança. São Paulo: Senac, 2011.

FRANÇA, Rosa Alice. Design e artesanato: uma proposta social. In: Revista Design em foco, v. II, n. 2, Salvador, 2005.

GARCIA, Carol; MIRANDA, Ana Paula. Moda é comunicação: experiências, memórias, vínculos. São Paulo: Editora Anhembi Morumbi, 2010.

KOTLER, Philip; KARTAJAYA, Hermawan; SETIAWAN, Iwan. Marketing 3.0: as forças que estão definindo o novo marketing centrado no ser humano. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010.

LEE, Matilda. Eco chic: o guia da moda ética para a consumidora consciente. São Paulo: Larousse do Brasil, 2009.

LIPOVETSKY, Gilles. A felicidade paradoxal: ensaio sobre a sociedade de hiperconsumo. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

MENDES, Francisca R. N. Modelando a vida no córrego de Areia: tradição, saberes e itinerários das louceiras. Fortaleza: Expressão Gráfica, 2011.

MEZABARBA, Solange R.; GOIDANICH, Maria Elisabeth. Fast fashion x

slow fashion: consumidoras, vestuário e diferentes critérios de escolha. 10° Colóquio de Moda. 7ª Edição Internacional. 1o Congresso Brasileiro de Iniciação Científica em Design de Moda, 2014.

MORACE, Francesco. Consumo autoral: as gerações como empresas criativas. São Paulo: Estação das Letras e Cores, 2012.

MORAES, Dijon de. Análise do design brasileiro: entre mimese e mestiçagem. São Paulo: Edgard Blucher, 2006.

______. Metaprojeto: o design do design. São Paulo: Edgard Blucher, 2010.

NAKAO, Jum. A hora do Brasil. Fortaleza: Senac/CE, v. 1, n. 1, 2013.

PAIXÃO, Fernando. A hora do Brasil (cordel). In.: NAKAO, Jum. A hora do Brasil. Fortaleza: Senac/CE, v. 1, n. 1, 2013.

PICHLER, R. F. MELLO, C. I. O Design e a valorização da identidade local. Disponível em: http://www.pgdesign.ufrgs.br/designetecnologia/index.php/det/article/viewFile/67/44. Acesso em: 19 maio 2014.

PORTO ALEGRE, Sylvia. Mãos de mestre: itinerários da arte e da tradição. São Paulo: Maltese, 1994.

RECH, Sandra R.; SOUZA, Renata Karoline R. de. Ecoluxo e sustentabilidade: um novo comportamento do consumidor. Disponível em: http://www.ceart.udesc.br/revista_dapesquisa/volume4/numero1/moda/

ecoluxoesust.pdf. Acesso em: 19 maio 2014.

SÁ-SILVA, Jackson R.; ALMEIDA, Cristóvão D. de; GUINDANI, Joel F. Pesquisa documental: pistas teóricas e metodológicas. Revista brasileira de história & ciências sociais, ano I, n. I, 2009.

SANTOS, Tania Steren. Globalização e exclusão: dialéticas da mundialização do capital. Porto Alegre: Sociologias, ano 3, n. 6, jul/dez 2001, p. 170-198.

SILVA, Emanuelle Kelly Ribeiro da. Quando a cultura entra na moda. Fortaleza: Edições UFC, 2011.

SUDJIC, Deyan. A linguagem das coisas. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2010.

TÓDERO, Mirele. Consumo consciente e percepção do consumidor sobre ações corporativas vinculadas ao conceito de responsabilidade social: um estudo no setor da saúde. Dissertação (Mestrado). Universidade

de Caxias do Sul. Disponível em: http://tede.ucs.br/tde_arquivos/5/TDE-2009-11-30T151024Z-317/Publico/Dissertacao%20Mirele%20Todero.pdf>.Acesso em: 12 set. 2014.

TRAVESSONI, Márcia (Org). Anuário da moda no Ceará 2012-2013. Fortaleza: Diário do Nordeste, 2013.

Vogue Brasil. São Paulo: Globo Condé Nast, n. 418, jun. 2013.




DOI: https://doi.org/10.26563/dobras.v8i18.106

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 dObra[s] – uma revista da Associação Brasileira de Estudos de Pesquisas em Moda



Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.