Atrizes gordas também usam figurinos

Autores

  • Márcia Metz

DOI:

https://doi.org/10.26563/dobras.i33.1431

Palavras-chave:

Atrizes gordas, Figurinos, Figurinista, Opressão estética

Resumo

O texto traz reflexões acerca da relação das atrizes gordas com os figurinos de suas personagens e com figurinistas. Contextualiza a importância do figurino na realização de um espetáculo, sendo muito mais do que uma roupa. Aborda um pouco da realidade das atrizes gordas. A partir de alguns depoimentos de atrizes e vivências pessoais da autora certas tensões são evidenciadas nessa relação atrizes gordas/figurinos/figurinistas. Quando falamos de figurinos pensados para atrizes que não são magras, um reflexo da opressão estética e da gordofobia que vigoram socialmente aparecem no meio teatral. O artigo com essas ponderações propõe que repensemos essa estrutura para que as atrizes gordas possam usar quaisquer tipos de figurinos, sem que isso se torne uma problemática.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Márcia Metz

Mestrado em Artes Cênicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Referências

ACOM, Ana C. Figurinos em Hitchcock: moda e loiras gélidas. In: FERRAZ, Wagner; SOUZA, Anderson Luiz de. O trabalho do figurinista: projeto, pesquisa e criação. Porto Alegre: INDEPIn, 2013. p. 95-102.

AIRES, Aliana B. De gorda à plus size: a moda do tamanho grande. Barueri, SP: Estação das Letras e Cores, 2019.

BERGER, Mirela. Corpo e identidade feminina. Tese (Doutorado) – Programa de Pósgraduação em Antropologia, Departamento de Antropologia, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006. Disponível em: https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8134/tde-22112007-150343/pt-br.php. Acesso em: 7 abr. 2021.

BUTLER, Judith. Cuerpos que importan: sobre los límites materiales y discursivos del “sexo”. Tradução de Alcíria Bixo. Buenos Aires: Paidós, 2002.

CORTINHAS, Rosângela. Figurino: um objeto sensível na confecção do personagem. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-graduação em Artes Cênicas, Instituto de Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2010. Disponível em: https://lume.ufrgs.br/handle/10183/27280. Acesso em: 7 abr. 2021.

FERRAZ, Wagner; SOUZA, Anderson L. de. O trabalho do figurinista: projeto, pesquisa e criação. Porto Alegre: INDEPIn, 2013.

FRANCO, Marielle. A emergência da vida para superar o anestesiamento social frente à retirada de direitos: o momento pós-golpe pelo olhar de uma feminista, negra e favelada. In: BUENO, Winnie (Org.). Têm saída? Ensaios críticos sobre o Brasil. Porto Alegre: Zouk, 2017. p. 89-95.

MACIEIRA, Clarice; ANDRADE, Eduardo. O Figurino como objeto sensível na criação do espetáculo “Sob os Olhos dos Outros”. Caderno de encenação, vol. 3, n. 11, 2010, n.p. Disponível em: https://www.eba.ufmg.br/cadernodeencenacao/index.php/revista/article/view/7. Acesso em: 7 abr. 2021

MARCELJA, Karen G. Gordura e feminilidade: apontamentos sobre beleza e inclusão na cultura contemporânea. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE SOCIOLOGIA, 18, Brasília, 2017. Anais [...]

METZ, Márcia. Gordas, gordinhas, gorduchas: a potência cênica dos corpos insurgentes. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-graduação em Artes Cênicas, Instituto de Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2019. Disponível em: https://lume.ufrgs.br/handle/10183/202038#. Acesso em: 5 abr. 2021.

PAVIS, Patrice. A análise dos espetáculos: teatro, mímica, dança-teatro, cinema. Tradução Nanci Fernandes. São Paulo: Perspectiva, 2003.

RIBEIRO, Djamila. O que é lugar de fala. Belo Horizonte: Letramento, 2017.

ROMANO, Lúcia R. V. De quem é esse corpo? A performatividade do feminino no teatro contemporâneo. Tese (Doutorado) – Escola de Comunicações e Arte, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009. Disponível em: https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/27/27156/tde-25102010-162044/publico/1056874.pdf. Acesso em: 12 abr. 2021.

ROUBINE, Jean-Jacques. A linguagem da encenação teatral, 1880- 1980. Tradução Yan Michalski. Rio de Janeiro: Zahar, 1998.

SANT’ANNA, Denise B. Corpos de passagem: ensaios sobre a subjetividade contemporânea. São Paulo: Estação Liberdade, 2001.

WOLF, Naomi. O mito da beleza. Tradução Waldéa Barcellos. Rio de Janeiro: Rocco, 1992.

XAVIER, Mariana C.; MUNIZ, Rosane. O figurino como instrumento político: a importância da arte questionadora. Cena, n. 30, p. 65-76, maio/ago. 2020. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/cena/article/view/104123/57751. Acesso em: 8 abr. 2021.

Downloads

Publicado

2021-11-30

Como Citar

METZ, M. Atrizes gordas também usam figurinos. dObra[s] – revista da Associação Brasileira de Estudos de Pesquisas em Moda, [S. l.], n. 33, p. 94–110, 2021. DOI: 10.26563/dobras.i33.1431. Disponível em: https://dobras.emnuvens.com.br/dobras/article/view/1431. Acesso em: 20 jan. 2022.

Edição

Seção

Dossiê