A moda plus size pela lente das desigualdades sociais

Autores

  • Tais Ventura
  • Alberto Cipiniuk

DOI:

https://doi.org/10.26563/dobras.i33.1436

Palavras-chave:

Moda plus size, Desigualdades sociais, Design, moda, fashion design

Resumo

Neste artigo, nos propomos a aproximar o Campo do Design ao das Ciências Sociais, para examinar o universo simbólico de mulheres brasileiras gordas e de baixa renda, que compõem o quantitativo majoritário de indivíduos das mulheres de nossa sociedade, refletindo sobre a interação e os limites impostos pelo seu poder aquisitivo, em se tratando de acesso às mercadorias denominadas de Design de Moda. O método de análise considerou dados estatísticos sobre a população brasileira, revisão bibliográfica a respeito das noções de desigualdades sociais, pobreza, inclusão e exclusão, a partir das noções das Ciências Sociais, bem como a reflexão a respeito da dimensão cultural de igualdade e desigualdades para os brasileiros. Nesta pesquisa, convidamos os pares à reflexão sobre os aspectos sociais que impactam nossa sociedade, refletindo sobre como as desigualdades sociais podem ser refletidas nas diferenças observadas nas chances individuais de acesso e posse de bens socialmente valorizados. Concluimos que a exclusão é um produto do sistema e a igualdade uma dimensão cultural, composta de aspectos específicos de acordo com os códigos culturais vigentes, e que a moda, como meio de manifestação e manutenção das instâncias sociais, reflete os movimentos da sociedade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tais Ventura

Doutoranda no Departamento de Artes e Design PUC-Rio.

Alberto Cipiniuk

Doutor pela Université Libre de Bruxelles. Professor Associado do Departamento de Artes e Design PUC-Rio.

Referências

BOURDIEU, Pierre. A distinção. Crítica social do julgamento. Porto Alegre, RS: Zouk, 2015.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1989.

COSTA, Sérgio. Desigualdades, interdependências e políticas sociais no Brasil. In. Implementando desigualdades: reprodução de desigualdades na implementação de políticas públicas/Roberto Rocha C. Pires Organizador. – Rio de Janeiro: Ipea, 2019.

IVO, Anete B. L.. Georg Simmel e a “sociologia da pobreza”. Cad. CRH, Salvador, v. 21, n. 52, p. 171-180, Apr. 2008.Available from <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S01039792008000100013&lng=en&nrm=iso>. accesson 08 Feb. 2020. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-49792008000100013. Acesso em: 08/02/2020

PAUGAM, Serge. O Enfraquecimento e a Ruptura dos Vínculos Sociais – Uma dimensão essencial do processo de desqualificação social. In. As artimanhas da exclusão: análise psicossocial e ética da desigualdade social/Bader Sawaia Organizador. Editora Vozes Ltda – Petrópolis – RJ, 1999.

REIS, Elisa P. A desigualdade na visão das elites e do povo brasileiro/Celi Scalon, In. Imagens da desigualdade. Belo Horizonte: Editora UFMG; Rio de Janeiro: IUPERJ/UCAM, 2004.

FERREIRA, Vanessa Alves; MAGALHAES, Rosana. Obesidade entre os pobres no Brasil: a vulnerabilidade feminina. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro , v. 16, n. 4, p. 2279-2287, abr. 2011 . Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232011000400027&lng=pt&nrm=iso>. Acesso: 27/09/2021.

VALLADARES, Lícia. Cem anos pensando a pobreza no Brasil. In.: Corporativismo e desigualdade: a construção do espaço público no Brasil/ Renato R. Boschi Organizador. – Rio de Janeiro: Rio Fundo Ed. IUPERJ, 1991.

MODA PLUS SIZE: AS POLÊMICAS, OS PRECONCEITOS E AS SOLUÇÕES DO MERCADO. Disponível em: http://mantostore.blogspot.com.br/2013/05/moda-plus-size-aspolemicas- os.html Acesso em: 16/05/2018.

MAPA DA OBESIDADE. Disponível em: http://www.abeso.org.br/atitude-saudavel/mapaobesidade Acesso em: 21/05/2018.

METADE DOS BRASILEIROS VIVE COM R$ 413 MENSAIS; DESIGUALDADE ATINGE NÍVEL RECORDE. Disponível em: https://istoe.com.br/metade-dos-brasileiros-vive-comr- 413-mensais-desigualdade-atinge-nivel-recorde/ Acesso em: 11/11/2019.

A UBERIZAÇÃO DAS RELAÇÕES DE TRABALHO. Disponível em: https://www.cartacapital.com.br/justica/a-uberizacao-das-relacoes-de-trabalho/ Acesso em: 04/02/2020.

DESEMPREGO FICA EM 11,8% EM AGOSTO E ATINGE 12,6 MILHÕES, DIZ IBGE. Disponível em: https://g1.globo.com/economia/noticia/2019/09/27/desemprego-ficaem-118percent-em-agosto-diz-ibge.ghtml Acesso em: 06/02/2020.

OQUEÉÍNDICEGINI?. Disponível em:http://www.ipea.gov.br/desafios/index.php?option=com_content&id=2048:catid=28 Acesso em: 05/02/2020.

MULHERES, PRETOS, NORDESTINOS E PESSOAS SEM INSTRUÇÃO SÃO OS BRASILEIROS COM SALÁRIO MAIS BAIXO, MOSTRA IBGE. Disponível em: https://g1.globo.com/economia/noticia/2019/10/16/mulheres-pretos-nordestinos-e-pessoas-sem-instrucaosao-os-brasileiros-com-salario-mais-baixo-mostra-ibge.ghtml acesso em: 17/03/2020.

Downloads

Publicado

2021-11-30

Como Citar

VENTURA, T.; CIPINIUK, A. A moda plus size pela lente das desigualdades sociais. dObra[s] – revista da Associação Brasileira de Estudos de Pesquisas em Moda, [S. l.], n. 33, p. 190–205, 2021. DOI: 10.26563/dobras.i33.1436. Disponível em: https://dobras.emnuvens.com.br/dobras/article/view/1436. Acesso em: 20 jan. 2022.

Edição

Seção

Dossiê