Vestidos-objeto de Olly Reinheimer: a veiculação na mídia impressa sobre a exposição realizada no MAM-RJ em 1969

Palavras-chave: Olly Reinheimer, MAM-RJ, Arte têxtil, Arte vestível

Resumo

Este artigo visa analisar e comparar as distintas críticas artísticas e veiculações sobre a exposição Vestidos-objeto ocorrida no MAM-RJ, em 1969, e a disparidade das opi-niões na leitura do evento. A mostra de Olly Reinheimer produz uma contradição entre os espectadores, críticos de arte e jornalistas, que irão publicar conteúdos diferenciados para cada segmento de público (artes, feminino ou entretenimento) na mídia impressa da época. A análise dos discursos e imagens publicados é realizada nos periódicos O Dia (RJ), Correio da Manhã (RJ), Jornal do Brasil (RJ), Última Hora (RJ) e Jornal do Commercio (RJ), a partir do embasamento teórico-artístico de Argan (1994; 2005; 2006) e também dos pressupostos teóricos sobre cultura visual e material de Ulpiano Toledo Bezerra de Meneses (2003).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carolina Morgado Pereira, Universidade Federal do Rio de Janeiro
Doutoranda em Artes Visuais – Programa de Pós-graduação em Artes Visuais da Escola de Belas Artes
da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Mestre em Artes Visuais – Programa de Pós-graduação em
Artes Visuais da Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Docente do Curso
Técnico Pós-médio de Produção de Moda – Fundação de Apoio à Escola Técnica (FAETEC-RJ).

Referências

ARGAN, Giulio Carlo; FAGIOLO, Maurizio. Guia de História da Arte. Lisboa: Editorial Estampa, 1994.

ARGAN, Giulio Carlo. Walter Gropius e a Bauhaus. Rio de Janeiro: José Olympio, 2005.

ARGAN, Giulio Carlo. Arte moderna: do Iluminismo aos movimentos contemporâneos. São Paulo: Companhia das Letras. 2006.

ARGAN, Giulio Carlo. Arte Moderna na Europa: de Hogarth a Picasso. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

ARTE carajá é motivo para nova moda. Jornal do Brasil, 1º caderno, 6 de setembro de 1969a. Capa da Revista de Domingo.

BEDTCHE, Araceli. Antonio Bento e Romero Brest: o movimento abstrato como fluxo universal. Cadernos PROLAM/USP, v. 16, n. 30. 2017, p. 167-188. Disponível em: https://doi.org/10.11606/issn.1676-6288. Acesso em: 12 jun. 2019.

BENTO, Antonio. Vestido-objeto de Olly. Última Hora, Rio de Janeiro, 21 de agosto de 1969.

BERKOWITZ, Marc. Vestidos-Objetos de Olly. Jornal do Commercio, Rio de Janeiro, 21 de setembro de 1969.

BONADIO. Maria Claudia. O fio sintético é um show! Moda, política e publicidade (Rhodia S.A. 1960-1970). 2005. 295f. Tese (Doutorado em História) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas,Campinas, 2005. Disponível em: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/279891. Acesso em: 12 jun. 2019.

DIDI-HUBERMAN, Georges. O que vemos, o que nos olha. São Paulo: Editora 34, 1998.

DIDI-HUBERMAN, Georges. A imagem sobrevivente: história da arte e tempo dos fantasmas segundo Aby Warburg. Rio de Janeiro: Contraponto, 2013.

CAMPOFIORITO, Quirino. Vestidos-objetos. O Jornal, Rio de Janeiro, 6 de agosto de 1969.

CAMPOFIORITO, Quirino. Tecidos e vestidos de Olly. O Jornal, Rio de Janeiro, 14 de agosto de 1969.

CPDOC / FGV – VERBETES. Disponível em:

http://www.fgv.br/cpdoc/acervo/dicionarios/verbete-tematico. Acesso em: 11jun. 2019.

MENESES, Ulpiano T. Bezerra de. Fontes visuais, cultura visual, história visual. Balanço provisório, propostas cautelares. Revista Brasileira de História. São Paulo, v. 23, n. 45, 2003, p. 11-36.

MAM-RJ – Pinturas, Desenhos, Gravuras. Folder da exposição. Rio de Janeiro, 1952.

MAM-RJ – IDI. Programação de atividades. Rio de Janeiro, 1972.

MARCONDES, Gina. A Notícia, Rio de Janeiro, 9 de agosto de 1969.

MAURÍCIO, Jayme. Olly hoje no Museu. Correio da Manhã, Rio de Janeiro, p. 2, 2º Caderno, 6 de agosto de1969.

MORAIS, Frederico. Arte religiosa. Diário de Notícias, Rio de Janeiro, 27 de agosto de 1969.

O BRASIL que Olly faz amar. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, Revista de Domingo, 7 de setembro de 1969, p. 7.

OLLY no MAM. O Globo. Rio de Janeiro, 9 de agosto de 1969.

OLLY no Museu: happening da nova moda. Correio da Manhã, Rio de Janeiro, 7 de agosto de 1969, p. 1.

OS VESTIDOS-objeto de Olly. O Dia. Rio de Janeiro, Caderno Feminino, 17 e 18 de agosto de 1969, p. 2.

PONTUAL, Roberto. Dicionário das artes plásticas no Brasil. Texto: Mário Barata, Lourival Gomes Machado, Carlos Cavalcanti et al. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1969.

RAINHO, Maria do Carmo Teixeira. Moda e revolução nos anos 1960. Rio de Janeiro: Contra Capa, 2014.

REINHEIMER, Patricia. O universo de Olly, cores, formas, texturas: vida e obra de uma artista múltipla. 1999. 87f. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura em Educação Artística) – Faculdades Integradas Bennett, Rio de Janeiro, 1999.

SANT’ANNA, Sabrina Marques Parracho. Construindo a memória do futuro: uma análise da fundação do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. 2008. 225f.Tese (Doutorado em Ciências Humanas) – Instituto de Filosofia e Ciências Sociais, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio e Janeiro, 2008. Disponível em: http://livros01.livrosgratis.com.br/cp073817. pdf. Acesso em: 7jun. 2019.

SANT’ANNA, Sabrina Marques Parracho. Wiederaufbau no Brasil: relações entre a escola de Ulm e o projeto pedagógico do MAM carioca. Sociologia & Antropologia, Rio de Janeiro, v. 2, n. 3, jun. 2012, p. 183-201. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_ arttext&pid=S2238-38752012000300183&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 12 jun. 2019.

VARELA, Elizabeth Catoia. Arte concreta além da Europa: Brasil-Argentina. Rio de Janeiro: MAM-RJ, 2017.

VESTIDO-OBJETO, objeto exportável. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, Caderno B, 13 de agosto de 1969, p. 8.

Publicado
2020-08-03
Como Citar
Morgado Pereira, C. (2020). Vestidos-objeto de Olly Reinheimer: a veiculação na mídia impressa sobre a exposição realizada no MAM-RJ em 1969. dObra[s] – Revista Da Associação Brasileira De Estudos De Pesquisas Em Moda, 14(29), 249-269. https://doi.org/10.26563/dobras.v14i29.1146
Seção
Dossiê