Saias femininas e seus significados para mulheres de religiões distintas

Autores

  • Mayra Carlos da Silva
  • Olga Maria Coutinho Pépece

DOI:

https://doi.org/10.26563/dobras.i34.1487

Palavras-chave:

Moda, Sistema de moda, Significados de consumo, Saias

Resumo

A proposta desta pesquisa é compreender o significado social do consumo de saia para mulheres de diferentes religiões, no século XXI. Para tanto, a fundamentação teórica contempla a teoria da moda, explorando seus conceitos e sua história, compreendendo- a como um fenômeno cultural que reflete a sociedade e suas características em cada época. Foi apresentado um breve histórico de como a saia feminina e seus significados foram sendo alterados ao longo do tempo, analisando, principalmente, suas influências e seus papéis na sociedade. Quanto aos procedimentos metodológicos, esta é uma pesquisa de natureza qualitativa e caráter descritivo e com recorte transversal. Para a coleta dos dados, na primeira etapa, foram realizadas 13 entrevistas semiestruturadas, complementadas por fotos dos looks do dia registradas ao longo de 10 dias pelas entrevistadas, que permitiram, assim, analisar como as mulheres faziam uso dessas saias – partindo da importância da interação social para a construção dos significados do consumo compartilhados socialmente. Para a análise dos dados, foi utilizada a análise de conteúdo categorial. Como resultados relevantes, destacam-se nove principais significados atribuídos ao consumo da saia feminina, sendo eles: expressão do feminino; elegância; religiosidade; socialização e pertencimento; sedução; vergonha; conforto; versatilidade e vulnerabilidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mayra Carlos da Silva

Mestre em Administração pela Universidade Estadual de Maringá, bolsista da Capes.

Olga Maria Coutinho Pépece

Doutora em Administração. Professora associada da Universidade Estadual de Maringá. 

Referências

ALEXANDER, Victoria D. Views of the neighbourhood: A photo-elicitation study of the built environment. Sociological Research Online, v. 18, n. 1, p. 1-26, 2013.

ALMILA, Anna-Mari. Introduction: Fashion/Religion Interfaces. Journal Religions, v. 11, n. 3, p. 133, 2020.

BARBOSA, Livia. Sociedade de consumo. São Paulo: Zahar, 2004.

BARD, Christine. Ce que soulève la jupe: identités, transgressions, résistances. Paris: Éditions Autrement, 2010.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2010.

BAGGIO, Adriana Tulio. As saias e o modo de ser mulher na publicidade. In: VII COLÓQUIO DE MODA, 2011. Anais [...]. Maringá: Cesumar – Centro de Ensino Superior de Maringá, 2011.

BAGGIO, Adriana Tulio. Mulheres de saia na publicidade: regimes de interação e de sentido na construção e valoração de papéis sociais femininos. 2015. Tese (Doutorado em Comunicação e Semiótica) – Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Semiótica, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2015.

BONADIO, Maria Claudia. O corpo vestido. In: MARQUETTI, Flávia; FUNARI, Pedro Paulo (orgs.). Sobre a pele: imagens e metamorfoses do corpo. 1. ed. São Paulo: Intermeios, 2015, v. 1, p. 179-206.

BONADIO, Maria Claudia. Trajetória e consumos de uma imagem: as meias de lurex de Dancin’ Days, entre a moda brasileira e os” felizes” anos 70. Acervo, v. 31, n. 2, p. 86-104, 2018.

BOUCHER, François. 20.000 years of fashion. Nova York: Harry N. Abrams, 1987.

BRAGA, Camila Soares Pinto. E se meu armário falasse? Uma investigação da sociomaterialidade, afetos e afeições em assemblages de consumo. 2019. Tese (Doutorado em Administração) – Programa de Pós-Graduação em Administração, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2019.

BURRELL, Gibson; MORGAN, Gareth. Sociological paradigms and organizational analysis: elements of the sociology of corporate life. Londres: Routledge, 1979.

CHATAIGNIER, Gilda. História da moda no Brasil. Barueri: Estação das Letras e Cores, 2010.

CONTOIS, Emily JH. Comida e moda: explorando a identidade feminina gorda na Drop Dead Diva. Fat Studies, v. 2, n. 2, p. 183-196, 2013.

CRANE, Diana. Clothing behavior as non-verbal resistance: marginal women and alternative dress in the nineteenth century. Fashion theory, v. 3, n. 2, p. 241-268, 1999.

DOUGLAS, Mary; ISHERWOOD, Baron. O mundo dos bens: para uma antropologia do consumo. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2009.

DELONG, Marilyn Revell. Theories of fashion. Encyclopedia of Clothing and Fashion. V. Steele (Ed.). Detroit: Thompson/Gale, 2005.

EDWARDS, Tim. Fashion in focus: concepts, practices and politics. Londres: Routledge, 2011.

ENTWISTLE, Joanne. The fashioned body: fashion, dress and social theory. Cambridge: Polity Press, 2015.

FLÜGEL, John Carl. Sobre o valor afetivo das roupas. Psyche, v. 12, n. 22, p. 13-26, 2008.

FLÜGEL, John Carl. The psychology of clothes. The Sociological Review, v. 25, n. 3, p. 301- 304, 1933.

GARCIA, Carol; MIRANDA, Ana Paula de. Moda é comunicação: experiências, memórias, vínculos. São Paulo: Editora Anhembi Morumbi, 2005.

GOLDENBERG, Mirian. De perto ninguém é normal: estudos sobre corpo, sexualidade, gênero e desvio na cultura brasileira. Rio de Janeiro: Record, 2004.

HARPER, Douglas. Talking about pictures: A case for photo elicitation. Visual Studies, v. 17, n. 1, p. 13-26, 2002.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Censo Brasileiro de 2010. Paraná: IBGE, 2017. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pr/maringa/ panorama. Acesso em: 22 out. 2021.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Censo Brasileiro de 2010. Paraná: IBGE, 2017. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/sp/presidenteprudente/panorama. Acesso em: 22 out. 2021.

JOFFILY, Ruth. O jornalismo e produção de moda. Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira, 1991.

KAISER, Susan B. Trickle-down. The Berg companion to fashion, p. 689-90, 2019.

LAVER, James. A roupa e a moda: uma história concisa. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

LIPOVETSKY, Gilles. O império do efêmero. São Paulo: Companhia das Letras, 1989, p. 28- 29.

LURIE, Alison. El lenguaje de la moda: una interpretación de las formas de vestir. Barcelona: Paidós, 1994.

MCCRACKEN, Grant. Cultura & consumo. Rio de Janeiro: Mauad, 2003.

MCCRACKEN, Grant. Cultura e consumo: uma explicação teórica da estrutura e do movimento do significado cultural dos bens de consumo. Revista de Administração de Empresas, v. 47, n. 1, p. 99-115, 2007.

MIRANDA, Ana Paula de. Consumo de moda: a relação pessoa-objeto. Barueri: Estação das Letras e Cores, 2008.

MARTINS, Ana Caroline Siqueira; MARTINS, Carla Cristina Siqueira. A moda brasileira é jovem, branca e magra: perfil de estilistas e modelos na SPFW entre 2013 e 2017. dObra[s]– Revista da Associação Brasileira de Estudos de Pesquisas em Moda, v. 12, n. 26, p. 183-201, 2019.

MICHETTI, Miqueli. Moda brasileira e mundialização: mercado mundial e trocas simbólicas. 2012. Tese (Doutorado em Sociologia) – Instituto de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2012. Disponível em: http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/280865. Acesso em: 24 nov. 2020.

PARODE, Fabio; VISONÁ, Paula; ROSA, Mirela. Observatório de Moda e devires da cultura. In: VI Congresso da Associação Portuguesa de Ciências da Comunicação – Sopcom. Anais [...] Lisboa: Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, 2009. p. 110-111.

RADLEY, Alan; TAYLOR, Diane. Images of recovery: a photo-elicitation study on the hospital ward. Qualitative Health Research, v. 13, n. 1, p. 77-99, 2003.

RICHINS, Marsha L. Valuing things: the public and private meanings of possessions. Journal of Consumer Research, v. 21, n. 3, p. 504-521, 1994.

SANDIKCI, Özlem; GER, Güliz. Veiling in style: how does a stigmatized practice become fashionable? Journal of Consumer Research, v. 37, n. 1, p. 15-36, 2010.

SANT’ANNA, Mara Rúbia. Teoria de moda: sociedade, imagem e consumo. São Paulo: Estação das Letras e Cores, 2009.

SASSATELLI, Roberta. Consumer culture: history, theory and politics. Califórnia: Sage, 2007.

SHIMEK, Elizabeth D. The abaya: Fashion, religion, and identity in a globalized world. Lawrence University Honors Projects, 2012. Disponível em: https://lux.lawrence.edu/luhp/12. Acesso em 21 fev. 22.

SOLOMON, Michael R. The role of products as social stimuli: a symbolic interactionism perspective. Journal of Consumer Research, v. 10, n. 3, p. 319-329, 1983.

SOUZA, Gilda de Mello. O espírito das roupas: a moda no século dezenove. São Paulo: Companhia das Letras, 1987.

SPENCER, Herbert. The principles of sociology. New York: D. Appleton & Company, 1898, v. 3.

SHELL, Lynn. Photo-elicitation with autodriving in research with individuals with mild to moderate Alzheimer’s disease: advantages and challenges. International Journal of Qualitative Methods, v. 13, n. 1, p. 170-184, 2014.

STEELE, Valerie. Anti-fashion: the 1970s. Fashion Theory, v. 1, n. 3, p. 279-295, 1997.

STREY, Marlene Neves. Mulheres e moda: a feminilidade comunicada através das roupas. Revista Famecos, v. 7, n. 13, p. 148-154, 2000.

STREY, Marlene Neves; CABEDA, Sonia T. Lisboa; PREHN, Denise Rodrigues. Gênero e cultura: questões contemporâneas. Porto Alegre: ediPUCRS, 2004.

THARP, Marye; SCOTT, Linda M. The role of marketing processes in creating cultural meaning. Journal of Macromarketing, v. 10, n. 2, p. 47-60, 1990.

XIMENES, Maria Alice. Moda e arte na reinvenção do corpo feminino do século XIX. Barueri: Estação das Letras e Cores, 2009.

Downloads

Publicado

2022-03-29

Como Citar

SILVA, M. C. da; PÉPECE, O. M. C. Saias femininas e seus significados para mulheres de religiões distintas. dObra[s] – revista da Associação Brasileira de Estudos de Pesquisas em Moda, [S. l.], n. 34, p. 225–247, 2022. DOI: 10.26563/dobras.i34.1487. Disponível em: https://dobras.emnuvens.com.br/dobras/article/view/1487. Acesso em: 26 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos