A moda em movimento: a obra de Antoine Watteau (1684-1721) e as origens modernas de um fenômeno

Laura Ferrazza de Lima

Resumo


O presente artigo tem por objetivo apresentar um novo conceito do fenômeno histórico da moda. A construção dessa teoria ocorreu ao se voltar o olhar para as origens do processo moderno da moda no século XVIII francês. Por meio da análise de parte da obra artística de Antoine Watteu (1684-1721), relacionando-a com a moda de seu tempo e com imagens de outras temporalidades, obteve-se como resultado uma pesquisa inédita tanto no Brasil como no exterior. Analisando o traje como elemento essencial dentro da construção da visualidade do artista, foi possível perceber a moda como um fenômeno sociocultural pautado por um constante movimento entre mudanças e permanências.


Palavras-chave


História da Moda; História da Arte; Moda do Século XVIII; Antoine Watteau; Vestido Watteau.

Texto completo:

PDF

Referências


BAUMER, Franklin L. O pensamento europeu moderno. Vol. I – Séculos XVII e XVIII. Vila Nova de Gaia: Edições 70, 1990.

BÖRSCH-SUPAN, Helmut. Antoine Watteau (1684-1721). Londres: H.F. Ullman, 2007.

BOUCHER, François. Historia del traje en Occidente. Barcelona: Editora Gustavo Gili, 2009.

CALANCA, Daniela. História social da moda. São Paulo: Senac, 2008.

DIDI-HUBERMAN, Georges. A imagem sobrevivente: história da arte e tempo dos fantasmas segundo Aby Warburg. Rio de Janeiro: Contraponto, 2013.

_______. Ante el tiempo: historia del arte y anacronismo de las imágenes. Buenos Aires: Adriana Hidalgo, 2011.

_______. O que vemos, o que nos olha. São Paulo: Editora 34, 2010.

JAMAIN, Claude. Watteau, la grâce du geste. In: TOUTAIN-QUITTELIER, Valentine et RAUSEO, Chris (Orgs.). Watteau au confluent des arts: esthétiques de la grâce. Rennes: Presses Universitaires de

Rennes, 2014.

LEVEY, Michael. Del rococó a la revolución. Madri: Destino, 1998.

LIPOVETSKY, Gilles. O império do efêmero: a moda e seu destino nas sociedades modernas. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

MICHAUD, Philippe-Alain. Aby Warburg e a imagem em movimento. Rio de Janeiro: Contraponto, 2013.

NORBERG-SCHULZ, Christian. Architecture du baroque tardif et rococo. Milão: Gallimard, 1997.

POULOT, Dominique. Les lumiéres. Paris: PUF, 2000.

PRAVIS, Patrice. Prefácio. In: MARIVAUX. Le jeu de l’amour et du hasard. Paris: Librairie Générale Française, 1999.

ROCHE, Daniel. A cultura das aparências: uma história da indumentária (séculos XVII-XVIII). São Paulo: SENAC, 2007.

RUPPERT, Jacques; GOURGUET-BALLESTEROS, Pacale; et. all. Le costume français. 3a ed. Paris: Flammarion, 2007.

SAMAIN, Etienne. Aby Warburg. Mnemosyne. Constelação de culturas e ampulheta de memórias. In: SAMAIN, Etienne (Org.). Como pensam as imagens. Campinas: Editora da Unicamp, 2012. p. 51-80.

SCHMITT, Jean-Claude. O corpo das imagens: ensaios sobre a cultura visual na Idade Média. Bauru: EDUSC, 2007.

SVENDSEN, Lars. Moda: uma filosofia. Rio de Janeiro: Zahar, 2010.




DOI: https://doi.org/10.26563/dobras.v9i20.474

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Laura Ferrazza de Lima

URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0/

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.