A mulher e o cigarro: representações de feminilidade nos anos 1920

Palavras-chave: Tabagismo, Cigarros, Mulher, Gênero, Feminilidade

Resumo

O presente trabalho visa à investigação do hábito tabagista de mulheres no
início do século XX, entre as décadas de 1910 e 1920, como prisma privilegiado para vislumbrar
formas de elaboração da feminilidade. Sob uma perspectiva da História Cultural,
a observação da utilização do cigarro pelas mulheres é capaz de descortinar aspectos importantes
do processo de transformação do feminino, evidenciando o balanço entre antigos
códigos morais e o desejo de liberdade e a equiparação de gêneros. Em um período
de aceleração da vida metropolitana, a disseminação de práticas até então condenadas
socialmente provoca reflexões acerca da construção do arquétipo da “mulher moderna” e
seu papel social em meio ao incremento do consumo, da industrialização e da comunicação
de massa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marissa Gorberg
Doutora em História, Política e Bens Culturais pelo CPDOC/FGV.

Referências

Artigos em periódicos

A UMA melindrosa. Beira-Mar, n. 100, 23 jan. 1927, p. 12.

EIS AS coisas. Careta, n. 971, 29 jan.1927, p. 14.

MY lady’s nicotine. Vogue, New York, v. 48, n. 12, dec. 15, 1916, p. 61.

O CIGARRO e as mulheres. Frou-Frou, n. 15, ago. 1924.

UM SORRISO para todas. Careta, n. 970, 22 jan. 1927, p. 34.

WALDRON, Ingrid. Patterns and causes of gender differences in smoking. Soc. Sci. Med., v. 32, n. 9, 1991, p. 989-1005.

Outras referências

ABRAVANEL, Genevieve. Americanizing Britain: the rise of modernism in the age of the entertainment empire. Oxford: Oxford University Press, 2012.

ALLEN, Frederick Lewis. Only Yesterday: an informal history of the 1920’s. Nova York: Perennial Classics, 2000, p. 95.

CAMELO DE ARAÚJO, Nelma, 2006, citado por FERNANDES, Backer Ribeiro. O mundo de Marlboro: a comunicação corporativa da Philip Morris Brasil. 2007. 177 f. Dissertação (Mestrado em Processo Comunicacionais) – Universidade Metodista de São Paulo, São Bernardo do Campo, 2007. Disponível em:

http://tede.metodista.br/jspui/handle/tede/786?mode=full. Acesso em: 10 jun. 2018.

COSTALLAT, Benjamin. Paysagem sentimental. Rio de Janeiro: Ed. José Olympio, 1936, p. 161.

DEL PRIORE, Mary (org.). História das mulheres no Brasil. São Paulo: Ed. Contexto, 2004.

DROWNE, Kathleen; HUBER, Patrick. The 1920s: American Popular Culture Through History. Connecticut: Greenwood Publishing, 2004, p. 41.

FEIJÃO, Rosane. Moda e androginia nos anos 1920. In: XXVIII Simpósio Nacional de História, Florianópolis, 2015. Anais Anpuh. Disponível em: http://www.snh2015.anpuh. org/resources/anais/39/1434394828_ARQUIVO_Modaeandroginianosanos1920.pdf. Acesso em: 12 jun. 2018.

FEIJÃO, Rosane. Moda e modernidade na belle époque carioca. Rio de Janeiro: Estação das Letras e Cores, 2011.

GORBERG, Marissa. Parc Royal: um magazine na belle époque carioca. Rio de Janeiro: G. Ermakoff Casa Editorial, 2013.

GORBERG, Marissa. Um olhar sobre as caricaturas de Belmonte (1923-1927). 2018. Tese (Doutorado em História, Política e Bens Culturais) – CPDOC/FGV, Rio de Janeiro, 2018, p. 292-294. Disponível em: http://bibliotecadigital.fgv.br/dspace/handle/10438/20717. Acesso em: 22 jun. 2018.

HUGGINS, Mike. The Spectre of ‘Americanisation’: assessing the impact of America on British leisure between the wars. Disponível em: https://www.academia.edu/24648371/The_Spectre_of_Americanisation_Assessing_the_impact_of_America_on_British_leisure_ between_the_wars. Acesso em: 22 jun. 2018

LATHAM, Angela. Posing a Threat: Flappers, Chorus Girls, and Other Brazen Performers of the American 1920s. Hanover, NH and London: Wesleyan University Press, 2000.

LE GOFF, Jacques; NORA, Pierre. História: novos problemas, novas abordagens, novos objetos. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1988, 3 v.

MARGUERITTE, Victor. La garçonne. Rio de Janeiro: Ed. Flamarion, 1922.

MARIANO, Olegário. Ba-Ta-Clan. Rio de Janeiro: Benjamin Costallat & Miccolis Editores, 1927, p. 29.

PERROT, Michelle. Minha história das mulheres. São Paulo: Ed. Contexto, 2007.

PINHEIRO, Larissa Brum Leite Gusmão. Garçonnizando-se: o fazer-se melindrosa. Temporalidades, Belo Horizonte, ed. 17, v. 7, n. 2, maio/ago. 2015. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/temporalidades/issue/view/307. Acesso em: 22 jun. 2018.

RESENDE, Beatriz (org.). Cocaína, literatura e outros companheiros de ilusão. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2006, p. 17-18.

ROSS, Sara. The Hollywood Flapper. In: DESSER, David; JOWETT, Garth S. Hollywood Goes Shopping. Minnesota: University of Minnesota Press, 2000, p. 61.

SHAPIRO, Fred R. The Yale Book of Quotations. New Haven and London: Yale University Press, 2006, p. 292.

SODRÉ, Nelson Werneck. História da imprensa no Brasil. Rio de Janeiro: Mauad, 1999.

SOIHET, Rachel. Mulheres em busca de novos espaços e relações de gênero. Acervo – Revista do Arquivo Nacional. Rio de Janeiro, v. 9, n. 1-2, p. 99-105, jan./dez. 1996.

Disponível em: https://brapci.inf.br/index.php/res/download/54881. Acesso em: 26 jun. 2020.

ZEITZ, Joshua. A Madcap Story of Sex, Style, Celebrity and the Women Who Made America Modern. New York: Three Rivers Press, 2006.

Publicado
2020-08-03
Como Citar
Gorberg, M. (2020). A mulher e o cigarro: representações de feminilidade nos anos 1920. dObra[s] – Revista Da Associação Brasileira De Estudos De Pesquisas Em Moda, 14(29), 222-248. https://doi.org/10.26563/dobras.v14i29.1145
Seção
Dossiê