Discursividades da moda agênero para homens: performatividades do masculino e a economia moral do consumo no cenário agênero paulistano

Palavras-chave: Consumo, Moda Agênero, Masculinidades

Resumo

O presente artigo estuda os cruzamentos entre discursos que sustentam cam-panhas publicitárias de moda agênero voltadas para o público masculino com o objetivo de delinear as operações discursivas que circunscrevem o termo “agênero” e as masculini-dades convocadas a partir desse tipo de produção. Como corpus da pesquisa, escolhemos as postagens veiculadas no Instagram, no período entre janeiro e agosto de 2019, das marcas paulistanas Synchron e Cë. A partir de uma metodologia que combina análise do discurso de linha francesa com pressupostos teóricos da economia moral do consumo, é possível observar que uma série de indícios de outros discursos articulam tais anúncios como a responsabilização das grifes por causas sociais ligadas a uma perspectiva mono-lógica e individual de política via consumo; e a construção de uma moda agênero que vin-cula ideais de masculinidades subordinados à legitimação da masculinidade hegemônica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eliza Bachega Casadei, Escola Superior de Propaganda e Marketing de São Paulo
Doutora em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo. Professora Titular do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Práticas do Consumo da Escola Superior de Propaganda e Marketing de São Paulo (PPGCOM-ESPM).

Referências

BARNARD, Malcom. Moda e comunicação. Rio de Janeiro: Rocco, 2019.

BUTLER, Judith. Corpos em aliança ou a política das ruas. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2019.

CANCLINI, Néstor Garcia. Consumidores e cidadãos. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2001. CASTILHO, Kathia. Moda e linguagem. São Paulo: Anhembi Morumbi, 2004.

CORRÊA, Fabiana. O mundo cabe aqui: a moda democrática e diversa da Cë. The summer hunter. Disponível em https://thesummerhunter.com/moda-democratica-sem-genero-ce/. Acesso em: 5 nov. 2019.

CRANE, Diana. A moda e seu papel social. São Paulo: Editora Senac, 2006.

ENGDAHL, Emma; GELANG, Marie. The changing ethos and personae of shop-window mannequins within consumer culture: expressions of gendered embodiment. Journal of Consumer Culture, v. 19, n. 1, 2019, p. 21-46.

FONTENELLE, Isleide. Alcances e limites da crítica no contexto da cultura política do consumo. Estudos Avançados, São Paulo, v. 30, n. 87, 2016, p. 255-278.

GUIMARÃES, Maria Paula Piotto. Do corpo político à política no corpo. dObra[s], v. 6, n. 14, 2013, p. 108-116.

HOLLANDER, Anne. O sexo e as roupas. Rio de janeiro: Rocco, 2003.

MACHADO, Felipe Vieiro Kolinski. Quais homens podem existir? Masculinidades em Junior e em Men’s Health Portugal. In: SOARES, Juliana; TRINDADE, Vanessa Costa.; MACHADO, Felipe Vieiro Kolinski. Dar-se a ver: textualidades, gêneros e sexualidades em estudos da comunicação. Belo Horizonte: PPGCOM UFMG, 2018.

MAINGUENEAU, Dominique. Novas tendências em análise do discurso. Campinas: Pontes, 1989.

MAINGUENEAU, Dominique. Termos-chave da análise do discurso. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 1998.

MAINGUENEAU, Dominique. Gênese dos discursos. Curitiba: Criar Edições, 2005.

MARTINS, Marcelo Machado. Percursos interpretativos nas linguagens da Moda. Anais do 2º Colóquio de Moda. 2006. Disponível em: http://www.coloquiomoda.com.br/coloquio2017/anais/anais/edicoes/2-Coloquio-de-Moda_2006/artigos/75.pdf. Acesso em: 23 mar. 2020.

MARTINS, Marcelo Machado. Corpo masculino na publicidade: casos de persuasão. dObra[s], v. 7, n. 16, 2014, p. 79-86.

MELLO E SOUZA, Gilda de. O espírito das roupas. São Paulo: Companhia das Letras, 2005.

MILANEZ, Nilton. O corpo é um arquipélago: memória, intericonicidade e identidade. In: NAVARRO, Pedro. (ed.). Estudos do texto e do discurso: mapeando conceitos e métodos. São Carlos: Claraluz, 2006.

PRADO, José Luiz Aidar. Da antipolítica ao acontecimento: o anarquismo dos corpos acontecimentais. Comunicação, Mídia e Consumo, v. 14, n. 39, 2017, p. 10-30.

SAYER, A. Moral economy and political economy. Studies in political economy, n. 69, v. 1, p. 79-103.

THOMPSON, Edward Palmer. A economia moral da multidão inglesa no século XVIII. In: Costumes em comum. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

TRENTMANN, Frank. Citizenship and consumption. Journal of Consumer Culture, v. 7, n. 2, 2007, p. 147-58.

SAND, Katharina. The transformation of fashion practice through Instagram. Anais do FACTUM 19 Fashion Communication Conference, Ascona, Switzerland, 2019, p. 79-85.

SANTOS, Filipe; POSTINGUEL, Danilo. Processos de atualização da imagem masculina

na comunicação publicitária. Verso e Reverso, v. 30, n. 73, 2016, p. 34-49.

VIEIRA-SENA, Taísa; CASTILHO, Kathia. Moda e masculinidade: breves apontamentos sobre o homem dos séculos XX e XXI. Moda Palavra, v. 4, n. 7, 2011, p. 46-56.

WHEELER, Kathryn. Moral economies of consumption. Journal of Consumer Culture, v. 19, n. 2, 2019, p. 271-288.

Publicado
2020-08-03
Como Citar
Bachega Casadei, E., & Rufino, C. B. (2020). Discursividades da moda agênero para homens: performatividades do masculino e a economia moral do consumo no cenário agênero paulistano. dObra[s] – Revista Da Associação Brasileira De Estudos De Pesquisas Em Moda, 14(29), 374-394. https://doi.org/10.26563/dobras.v14i29.1151
Seção
Artigos