Trajetória e narrativas de Goya Lopes: por uma moda brasileira mais plural

  • Bruna Carmona Bonifácio
  • Ronaldo de Oliveira Corrêa PPGICH/UFSC
Palavras-chave: Goya Lopes, Design de moda, Design afro-brasileiro, Mulheres designers, Política de moda

Resumo

Neste artigo, esperamos descrever eventos relacionados à atuação de Goya Lopes, artista e designer negra que trabalha majoritariamente com a temática afro-brasileira, como articuladora política de um projeto de moda brasileira mais diversa. Para tanto, temos como objetivo mapear e descrever experiências da sua trajetória e do seu trabalho, além de suas estratégias como membro titular do Colegiado Setorial de Moda do Ministério da Cultura do Brasil. Por procedimento metodológico, recorremos à análise de fontes heterogêneas, como entrevistas concedidas por Goya, documentos do seu acervo pessoal, textos diversos sobre a designer, site e redes sociais da empresa Goya Lopes Design Brasileiro. Como resultado, pretendemos reconstruir eventos sobre o desenvolvimento de um projeto de moda mais plural, explicitar as adesões da designer a redes de relações afro-brasileiras, além de destacar o protagonismo de Goya Lopes no design brasileiro feito por mulheres.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bruna Carmona Bonifácio

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Design da UFPR

Ronaldo de Oliveira Corrêa, PPGICH/UFSC

Doutor em Ciências Humanas. Professor no Departamento de Design da UFPR, do Programa de Pós-Graduação na mesma instituição e professor do Programa de Pós-Graduação em Tecnologia da UTFPR.

Referências

ALBERTI, Verena. Manual de história oral. Rio de Janeiro: 2.ed. Brasil: Editora FGV. 2004.

ALPARGATAS. Conheça a empresa. Alpargatas. Disponível em: https://www.alpargatas. com.br/#/conheca-empresa. Acesso em: 9 fev. 2020.

ANAMAB. Quem somos. Associação Nacional da Moda Afro-Brasileira. Disponível em: http://associacaodamodaafrobrasileira.blogspot.com/p/ uem-somos_13.html. Acesso em: 5 jan. 2020.

ANAMAB. Quem somos: Angélica Moreira, Célia Sampaio, Cynthia Mariah, Edson Luiz, Fátima Negrann, Graça Santos, Goya Lopes, Ialê Garcia, Makota Kizamdembu, Michelle Fernandes e Wander Marcilio. Associação Nacional da Moda Afro-Brasileira. Disponível em: http:// associacaodamodaafrobrasileira.blogspot.com/p/quem somos_13.html. Acesso em: 2 fev. 2020.

AVELAR, Lúcia; BLAY, Eva Alterman (orgs.). 50 Anos de feminismo: Argentina, Brasil e Chile: A Construção das Mulheres como Atores Políticos e Democráticos. 1. ed. 1. reimpr. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, Fapesp, 2017.

AZERÊDO, Sandra. Teorizando sobre gênero e relações raciais. In: Relações sociais de gênero, raça e relações interétnicas. Estudos Feministas, ano 2, 2º semestre 1994.

BONIFÁCIO, Bruna Carmona. Experiências de mulheres no design de superfície: narrativas sobre trabalho e trajetórias de Goya Lopes e Renata Rubim. 2019. 197 f. Dissertação (Mestrado em Design) – Programa de Pós Graduação em Design, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2019. Disponível em: https://acervodigital.ufpr.br/handle/1884/62072. Acesso em: 2 fev. 2020.

BUENO, Ricardo. Alma brasileira. 3. ed. Porto Alegre: Quattro Projetos, 2015. 204 p.

CAMPI, Isabel. La historia y las teorías historiográficas del diseño. México: Editorial Designio, 2003.

CARDOSO, Rafael. Uma introdução à história do design. São Paulo: Editora Blucher, 2008.

FGV. Mauro Malin e Marcelo Costa em verbete biográfico sobre Severo Fagundes Gomes. [Rio de Janeiro]. Site. Disponível em: https://www.alpargatas.com.br/#/conheca-empresa. Acesso em: 9 fev. 2020.

FORTY, Adrian. O lar. Objetos de desejo: Design e sociedade desde 1750. São Paulo: Cosac Naify, 2007.

LISBOA, Luis Fernando. Estilista baiana Goya Lopes aposta em mercado virtual. Geledés: Salvador, 25 fev. 2016. Disponível em: https://www.geledes.org.br/estilista baiana-goyalopes-aposta-em-mercado-virtual. Acesso em: 5 mar. 2020.

NOELLE, Midiã. GELEDÉS. Conceito do Afro Fashion Day 2018 afirma identidade através das cores. Geledés: Salvador, 22 nov. 2018. Disponível em: https://www.geledes.org.br/conceito-do-afro-fashionday-2018-afirma-identidade-atraves-das-cores/. Acesso em: 20 jan. 2020.

LOPES, Goya. Site. Disponível em: https://goyalopes.com.br. Acesso em: 14 dez. 2018.

LOPES, Goya. Goya Lopes – Trajetória de uma criadora. In: ModaPalavra e-periódico. Florianópolis, ano 9, n.18, p. 20 42, jul./dez. 2016. ISSN 1982-615x. Disponível em: http:// www.revistas.udesc.br/index.php/modapalavra/issue/vi w/491. Acesso em: 24 fev. 2020.

LOPES, Goya; CASTELLÓN, Lena. A designer baiana Goya Lopes e suas criações. Geledés: Salvador, 2 jan. 2012. Disponível em: https://www.geledes.org.br/a-designer baiana-goyalopes-e-suas-criacoes. Acesso em: 25 fev. 2020.

LOPES, Goya; FALCÓN, Gustavo. Imagens da diáspora. Salvador: Solisluna Design Editora, 2010. 80 p., il. – (Série Traços do Encantamento).

LOPES, Maria Auxiliadora dos Santos Goya. Entrevista concedida. Salvador, BA. Janeiro de 2018.

LOPES, Maria Auxiliadora dos Santos Goya. Entrevista concedida. Salvador, BA. Fevereiro de 2020.

MEIHY, José Carlos Sebe Bom. Manual de história oral. 5. ed. São Paulo: Edições Loyola,2005.

MILLER, Daniel. Trecos, troços e coisas: estudos antropológicos sobre cultura material. São Paulo: Zahar, 2013.

BRASIL, Ministério da Cultura. Por que aprovar o Plano Nacional de Cultura: conceitos, participação e expectativas. Brasília, DF: Ministério da Cultura, 2009. Disponível em: www. cultura.gov.br/pnc. Acesso em: 14 dez. 2019.

BRASIL, Ministério da Cultura. Plano da Secretaria da Economia Criativa: políticas, diretrizes e ações, 2011-2014. Brasília, DF: Ministério da Cultura, 2011. 1. edição revisada, p. 24.

BRASIL, Ministério da Cultura. Cartilha do Conselho Nacional de Política Cultural: o que é? Estrutura e atribuições. Brasília, DF: Ministério da Cultura, 2015. Disponível em: http://cnpc.cultura.gov.br/publicacoes/. Acesso em: 1 fev. 2020.

MUSEU DA CASA BRASILEIRA. Site. Disponível em: http://www.mcb.org.br/pt- BR/produtos/arte-nativa-aplicada-ana. Acesso em: 2 out. 2018.

PALMARES FUNDAÇÃO CULTURAL. Institucional. Disponível em: http://www.palmares.gov.br/?page_id=95. Acesso: 2 de fev. 2020.

PEREIRA, Rodrigo Mateus. Construção e design de guitarras nos anos 1960 e 1970: narrativas sobre trabalho e trajetórias em São Paulo (SP) e Porto Alegre (RS). 2014. 145 f. Dissertação (Mestrado em Design) – Programa de Pós-Graduação em Design, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2014.

RIBEIRO, Djamila. O que é lugar de fala?. Belo Horizonte: Letramento: Justificando, 2017.112 p.; 15,9 cm. (Feminismos Plurais).

BRASIL, Assessoria de comunicação. Juca Ferreira é o novo ministro da Cultura. Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer do Governo de Mato Grosso: Cuiabá, 2 jan.2015. Disponível em: http://www.cultura.mt.gov.br/-/juca-ferreira-e-o-novo ministro-dacultura. Acesso em: 2 de fev. 2020.

SEMINÁRIO INTERNACIONAL ECONOMIA CRIATIVA COMO ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO, Cláudia Leitão. Brasília, 2018. Disponível em: http://fjmangabeira. org.br/economiacriativa/dt_team/claudia-leitao. Acesso em: 2 fev. 2020.

Publicado
2020-12-01
Como Citar
Carmona Bonifácio, B. ., & de Oliveira Corrêa, . R. . (2020). Trajetória e narrativas de Goya Lopes: por uma moda brasileira mais plural . dObra[s] – Revista Da Associação Brasileira De Estudos De Pesquisas Em Moda, 15(30), 115-139. https://doi.org/10.26563/dobras.i30.1237
Seção
Dossiê