Moda e cinema em duas perspectivas

notas preliminares sobre figurino e relações de gênero em Gilda de Mello e Souza e Paulo Emílio Salles Gomes

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26563/dobras.i35.1409

Palavras-chave:

Moda, Cinema, Figurino, Gilda de Mello e Souza, Paulo Emílio Salles Gomes

Resumo

Este artigo propõe uma aproximação entre a moda e o cinema a partir de dois autores de destaque no campo acadêmico brasileiro, os críticos Gilda de Mello e Souza e Paulo Emílio Salles Gomes. Embora guardem especializações epistemológicas próprias, Gilda com o estudo da moda e Paulo Emílio com a crítica de cinema, constata-se que nem Gilda e nem Paulo Emílio são estranhos ao objeto originalmente abordado pelo outro, visto que Gilda elabora uma série de análises de filmes nacionais e estrangeiros, enquanto Paulo Emílio não é de todo alheio à questão do figurino, e, consequentemente, da moda, em suas críticas cinematográficas. Assim, ao analisar os escritos de Gilda e de Paulo Emílio sobre moda e cinema, nota-se como as relações de gênero e de sexualidade se sobressaem enquanto questões de relevância na abordagem de ambos os autores, ainda que a perspectiva adotada por cada um seja distinta. Considera-se, enfim, que mesmo se as análises desenvolvidas por eles acerca desses temas não sejam isentas de reservas ou reavaliações, elas oferecem um viés introdutório a suas respectivas obras e a seus métodos críticos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Giulia Falcone

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em História Social da Universidade de São Paulo (USP)

Victor Santos Vigneron

Doutorando do Programa de Pós-Graduação em História Social da Universidade de São Paulo (USP).

 

Referências

ARANTES, Otília Fiori. Notas sobre o método crítico de Gilda de Mello e Souza. Estudos

avançados, v. 20, n. 56, São Paulo, 2006, p. 311-322. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/discurso/article/view/62567. Acesso em: 29 de out. de 2021.

BAECQUE, Antoine de. Cinefilia: invenção de um olhar, história de uma cultura, 1944-1968. São Paulo: Cosac Naify, 2010.

BAZIN, André. O que é o cinema? São Paulo: Cosac Naify, 2014.

BERNARDET, Jean-Claude. Brasil em tempo de cinema: ensaio sobre o cinema brasileiro de 1958 a 1966. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

CANDIDO, Antonio. “Informe político”. In: SALLES GOMES, Paulo Emílio. Paulo Emílio: um intelectual na linha de frente. São Paulo/Rio de Janeiro: Brasiliense/Embrafilme, 1986, p. 55-71.

CRARY, Jonathan. “A visão que se desprende: Manet e o observador atento no fim do século XIX”. In: CHARNEY, Leo; SCHWARTZ, Vanessa (Org.) O cinema e a invenção da vida moderna. São Paulo: Cosac Naify, 2004, p. 67-94.

CUNNINGTON, Willet C. The Art of English Costume. Londres: Collins Clear-Type Press, 1948.

GINZBURG, Carlo. Mitos, emblemas, sinais: morfologia e história. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

LAVER, James. Taste and Fashion from the French Revolution to the Present Day. Londres: George Haarp, 1946.

MELLO E SOUZA, Gilda de. “Foolish wives”. Anhembi, São Paulo, n. 46, 1954, p. 206-211.

MELLO E SOUZA, Gilda de. O espírito das roupas: a moda no século dezenove. São Paulo: Companhia das Letras, 1987.

MELLO E SOUZA, Gilda de. “Macedo, Alencar, Machado e as roupas”. Novos Estudos, São Paulo, n. 41, 1995, p. 111-119. Disponível em: https://www.scielo.br/j/mael/a/xTzQsVSmYfbvwD9VQtMp9rM/?lang=pt. Acesso em: 29 de out. de 2021.

MELLO E SOUZA, Gilda de. Exercícios de leitura. São Paulo: Editora 34/Duas Cidades, 2008.

PONTES, Heloisa. Destinos mistos: os críticos do Grupo Clima em São Paulo (1940-68). São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

PONTES, Heloisa. Modas e modos: uma leitura enviesada de “O espírito das roupas”. Cadernos Pagu, Campinas, v. 22, 2004. Disponível em: https://www.scielo.br/j/cpa/a/XjQdfSgp58vvCfPhrrTtVym/abstract/?lang=pt. Acesso em: 29 de out. de 2021.

PRADO, Luís André do. Gilda de Mello e Souza e a emergência do campo da moda no Brasil (1800-1990). Revista de História, São Paulo, n. 178, 2019. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/revhistoria/article/view/137772. Acesso em: 29 de out. de 2021.

SALLES GOMES, Paulo Emílio. “Retrospectiva Erich von Stroheim”. O Estado de S. Paulo, 14/02/1954, p. 92.

SALLES GOMES, Paulo Emílio. Humberto Mauro, Cataguases, Cinearte. São Paulo: Perspectiva, 1974.

SALLES GOMES, Paulo Emílio. Crítica de cinema no Suplemento Literário. Rio de Janeiro: Paz & Terra, 1981, 2 v.

SALLES GOMES, Paulo Emílio. O cinema no século. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

SALLES GOMES, Paulo Emílio. Uma situação colonial? São Paulo: Companhia das Letras, 2016.

SOUZA, José Inacio de Melo. Paulo Emílio no Paraíso. Rio de Janeiro: Record, 2002.

XAVIER, Ismail. “Bazin no Brasil”. In: BAZIN, André. O que é o cinema? São Paulo: Cosac Naify, 2014, p. 388-399.

Downloads

Publicado

2022-07-29

Como Citar

FALCONE, G.; VIGNERON, V. S. Moda e cinema em duas perspectivas: notas preliminares sobre figurino e relações de gênero em Gilda de Mello e Souza e Paulo Emílio Salles Gomes. dObra[s] – revista da Associação Brasileira de Estudos de Pesquisas em Moda, [S. l.], n. 35, p. 103–120, 2022. DOI: 10.26563/dobras.i35.1409. Disponível em: https://dobras.emnuvens.com.br/dobras/article/view/1409. Acesso em: 8 ago. 2022.

Edição

Seção

Dossiê