Criando fama

  • Nizia Villaça
Palavras-chave: performance, consumo, globalização.

Resumo

O artigo pretende refletir sobre a cultura da performance, discutindo paralelamente a antropologia da igualdade que, no contemporâneo, dá lugar ao surgimento de novos heróis interpelados pela generalização da publicidade que promete a todos a possibilidade de atingir uma repentina notabilidade. A estratégia consegue seduzir uma quantidade grande de anônimos que participam dos certames e/ou se identificam com os que se sobressaem por meio dos dispositivos midiáticos. Tal modelo é pautado por uma cultura de estilo atlético e empresarial e tem seu foco na obtenção da fama. O fracasso de tal busca gera frequentemente um paradigma depressivo entre ansiolíticos, drogas, reclusão e imobilidade. A dinâmica da identidade/diferença é dinamizada pelas práticas do marketing cultural cujas ações serão objeto de discussão no sentido de verificar se o recurso à cultura propicia, efetivamente, um envolvimento individual e comunitário.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BLANCHOT, Maurice. L´entretien infini. Paris: Gallimard, 1969.

BUTLER, Judith. Corpos que pesam: sobre os limites discursivos do “sexo”. In: LOPES LOURO, Guacira (Org.). O corpo educado: pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica, 1999.

CANCLINI, Néstor Garcia. Diferentes, desiguais e desconectados: mapas da interculturalidade. Rio de Janeiro: UFRJ, 2007.

COELHO, Teixeira. A cultura e seu contrário: cultura, arte e política pós-2001. São Paulo: Iluminuras/Itaú Cultural, 2008.

DERRIDA, Jacques. Limited Inc. Campinas: Papirus, 1991.

DOUGLAS, Mary; ISHERWOOD, Baron. O mundo dos bens: para uma antropologia do consumo. Rio de Janeiro: UFRJ, 2004.

EHRENBERG, Alain. L’individu incertain. Paris: Calmann-Levy, 1995.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal, 1982.

GIDDENS, Anthony. Modernidade e identidade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2002.

GRENIER, Catherine. Dépression et subversion: les racines de l’avant-garde. Paris: Centre Pompidou, 2004.

LIPOVETSKY, Gilles. O império do efêmero: a moda e seu destino nas sociedades modernas. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

MORIN, Edgar. Les stars. Paris: Seuil, 1972.

RODRIGUES, Adriano Duarte. Estratégias da comunicação: questão comunicacional e formas de sociabilidade. Lisboa: Presença, 1990.

ROWLANDS, Mark. Fame. Londres: Acumen, 2008.

SENNETT, Richard. O declínio do homem público: as tiranias da intimidade. São Paulo: Companhia das Letras, 1988.

SERRES, Michel. Hermes 4: a distribuição. Paris: Minuit, 1977.

SLOTERDIJK, Peter. Desprezo das massas: ensaio sobre lutas culturais na sociedade moderna. São Paulo: Estação Liberdade, 2002.

YÚDICE, George. A conveniência da cultura: usos da cultura na era global. Belo Horizonte: UFMG, 2004.

Publicado
2013-01-24
Como Citar
Villaça, N. (2013). Criando fama. dObra[s] – Revista Da Associação Brasileira De Estudos De Pesquisas Em Moda, 6(13), 52-58. https://doi.org/10.26563/dobras.v6i13.137
Seção
Artigos