A capacidade comunicativa do objeto anônimo

Pierluigi Cervelli

Resumo


O objetivo deste artigo é refletir sobre os objetos de design anônimo sob a perspectiva analítica da semiótica. Partindo das contribuições desenvolvidas na Itália sobre o design anônimo e sobre a história do design, especialmente por Eco (1982) e Bassi (2007), recupera a hipótese, sugerida por Eco, de que os objetos de design anônimo comunicam de forma sintética e eficaz não apenas o que fazem, mas como devem ser usados . Sustenta-se que é precisamente essa característica que distingue os objetos anônimos das produções em massa. Por fim, por meio de uma comparação entre dois objetos à primeira vista idênticos, um anônimo e uma cópia de baixa qualidade, procura-se mostrar a relação entre a configuração do objeto – as relações entre as partes que o compõem – e as comunicações de uso.


Palavras-chave


design anônimo; objeto anônimo; semiótica; comunicação.

Texto completo:

PDF

Referências


Bassi, A. Design anonimo in Italia. Milano: Electa, 2007.

CARERI, G.; FABBRI, P. Cose d’Alessi: la felicità e la cura. In: AA.VV. Le fabbriche del design italiano: Alessi: une dynastie d’objets. Roma: Carte Segrete, 1994.

ECO, Umberto. Anche questi fenomeni debbono far parte di un panorama del design italiano:altrimenti non si capisce né cosa sia l’Italia né

cosa sia il design. In:

Eco, Umberto. Anche questi fenomeni debbono far parte di un panorama del design italiano: altrimenti non si capisce né cosa sia l’Italia né cosa sia il design. In: SARTOGO, Piero (Org.). Italian re-evolution, design in italian society in the eighties. Milano: Nava, 1982.

______. Kant e l’ornitorinco. Milano: Bompiani, 1997.

FABBRI, P. Oggetti come segni: programmi d’azione e di comunicazione. In: AA.VV. VALERIO, F. di (Org.). Contesto e identità:gli oggetti fuori e dentro i musei. Bologna: Clueb, 1999.

Istruzioni e pratiche istruite: trascrizione della relazione tenuta al convegno“Le pratiche semiotiche: la produzione e l’uso” da E|C. Rivista dell’Associazione Italiana di Studi Semiotici on-line, San Marino, n.

-12, giug. 2005.

FLOCH, J. M. Identités visuelles. Paris: Presses Universitaires de France, 1995. GREIMAS, A.J. Dell’imperfezione. Palermo: Sellerio, 1987.

MATTOZZI, A. Il senso degli oggetti tecnici. Roma: Meltemi, 2006.

Greimas, A.J. Dell’imperfezione. Palermo: Sellerio, 1987.

Mattozzi , A. Il senso degli oggetti tecnici. Roma: Meltemi, 2006,.

PARIS, T. Mass design o il potere dell’oggetto anonimo. DIID – Disegno Industriale, n. 15, giugl.-ago., p. 4-5, 2005.




DOI: https://doi.org/10.26563/dobras.v7i16.32

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 Revista dObras



Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.