A construção retórica da moda de Christian Dior: um ensaio sobre as questões sucessórias analisando o documentário Dior e Eu

  • Lívia Stroschoen Pinent
Palavras-chave: semiótica, retórica, marcas, sucessão, moda.

Resumo

Com uma trajetória de sete décadas, a marca Christian Dior é parte essencial do campo da moda e ajuda a construir a retórica deste sistema, na forma como Barthes (1983) define. Mas, no que concerne a determinados fenômenos e dimensões, ela adquire uma retórica própria ou, ao menos, é o que intenciona a partir de algumas ações. É a um destes casos que este ensaio se dedica, a problematização da questão sucessória. O objeto é um documentário intitulado Dior e Eu (2015), sobre a primeira coleção de Raf Simons como diretor criativo da Dior. Por meio de uma leitura semiótica, o estudo visa perceber indícios da construção desta retórica da marca como forma de sustentar a sucessão de criadores, em meio ao contexto histórico-social da Dior e da moda.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BARTHES, R. Sistema da moda. Lisboa: Edições 70, 1967.

BAUDELAIRE, C. Sobre a modernidade. São Paulo: Editora Paz e Terra, 1996.

BENJAMIN, W. Paris, capitale du XIXe siècle: le livre des passages. Paris: Les Editions du Cerf, 1964.

BOURDIEU, P. Alta Costura e Alta Cultura. In: ______. Questões de sociologia. Rio de Janeiro: Marco Zero, 1983.

COX, C. Luxury fashion: a global history of heritage brands. London: Bloomsbury, 2013.

DIOR e Eu. Direção: Frédéric Tcheng. França: CIM Productions, 2015. Distribuição: Imovision. 1 DVD (90 min.), color. Título original: Dior et Moi.

FOGG, M. Tudo sobre moda. Rio de Janeiro: Sextante, 2013.

GINZBURG, C. Sinais: raízes de um paradigma indiciário. In: Mitos, emblemas, sinais: Morfologia e História. 1ª reimpressão. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

LIPOVETSKY, G.; SERROY, J. A estetização do mundo: viver na era do capitalismo artista. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

MARTINS, M. O corpo morto: mitos, tiros e superstições. Revista Lusófona de Estudos Culturais, v.1, n.1, p. 109-134, 2013.

MAUSS, M. Sociologia e antropologia. São Paulo: Cosac Naify, 2005.

MCDOWELL, C. Christian Dior (1905-1957). Business of Fashion. Londres, 23 nov. 2015. Disponível em: http://www.businessoffashion.com/articles/education/christian-dior-1905-1957. Acesso em: 5 fev. 2016.

OVERHEATED! Is Fashion Heading for a Burnout? Women’s Wear Daily. Washigton, 27 out. 2015. Disponível em: http://wwd.com/fashion-news/fashion-features/fashion-designers-karl-lagerfeldmarc-jacobs-10269092/. Acesso em: 5 fev. 2016.

SVENDSEN, L. Moda: uma filosofia. Rio de Janeiro: Zahar, 2010.

WAGNER, R. A invenção da cultura. São Paulo: Cosac Naify, 2010.

Publicado
2018-12-05
Como Citar
Pinent, L. S. (2018). A construção retórica da moda de Christian Dior: um ensaio sobre as questões sucessórias analisando o documentário Dior e Eu. dObra[s] – Revista Da Associação Brasileira De Estudos De Pesquisas Em Moda, 11(24), 66-79. https://doi.org/10.26563/dobras.v11i24.774
Seção
Dossiê