Negociações simbólicas das regras religiosas do vestir em postagens no Instagram

  • Raphael Daróz de Almeida
  • Leticia Moreira Casotti
  • Ana Paula Celso de Miranda
Palavras-chave: Moda, Consumo, Cultura, Religião, Influência digital

Resumo

O objetivo deste estudo de abordagem interpretativa foi analisar postagens, emredes sociais, de grupos religiosos femininos em busca de negociações simbólicas que, a partirda moda, profanam o sagrado e sacralizam o profano. O percurso metodológico ancorou-se nacaptação e na análise das imagens de looks construídos, das legendas que as acompanham edos textos e comentários compartilhados juntamente com as fotos. Dez contas de Instagram –de mulheres caracterizadas como influenciadoras digitais e identificáveis como pertencentesà igreja Assembleia de Deus – foram acompanhadas e analisadas. Os resultados encontradosdiscutem sobre o uso, por essas mulheres, do capital da moda para borrar os limites das regrasreligiosas, fazendo negociações simbólicas entre o campo mundano e o religioso, o que nospermitiu relacionar esses achados com a sociedade da transparência de Han.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Raphael Daróz de Almeida

Mestrando no Instituto Coppead de Administração (UFRJ). Mestre em Letras pela FFLCH (USP).

Leticia Moreira Casotti

Doutora em Engenharia de Produção pela Coppe (UFRJ). Professora associada do Instituto Coppead de Administração (UFRJ).

Ana Paula Celso de Miranda

Pós-doutorado no Instituto Coppead de Administração (UFRJ). Professora associada do Núcleo de Design e Comunicação da UFPE

Referências

ALBUQUERQUE, Hortência Cruz de; DUQUE-ARRAZOLA, Laura Susana; ROCHA, MariaAlice Vasconcelos. Santas e estilosas: o consumo de moda gospel por mulheres pentecostais.Oikos: Família e Sociedade em Debate, v. 28, n. 2, 2018, p.316-331. Disponível em: https://periodicos.ufv.br/oikos/article/view/3757. Acesso em: 30 ago. 2018.

ALVES, Maria de Fátima Paz. Um/uma jovem separado/a no mundo: igreja, juventudee sexualidade na perspectiva de jovens da Assembleia de Deus em Recife PE. 2009. 317f. Tese (Doutorado em Antropologia) – Programa de Pós-Graduação em Antropologia,Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2009. Disponível em: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/509. Acesso em: 3 out. 2018.

ALVES, Maria de Fátima Paz. Religião e sexualidade: permanências e transformações daperspectiva de jovens pentecostais de Recife/PE – Brasil. Ciencias Sociales y Religión/Ciências Sociais e Religião, v. 13, n. 15, 2012, p. 83-113. Disponível em: https://doi.org/10.22456/1982-2650.19975. Acesso em: 16 dez. 2019.

ALENCAR, Glauber. Aspectos da cultura pentecostal brasileira: origem, influências e desenvolvimento. 2015. 51 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Religião) – Programade Pós-Graduação em Ciências da Religião, Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, 2015. Disponível de: http://tede.mackenzie.br/jspui/handle/tede/2820. Acessoem: 28 set. 2018.

BELK, Russell; GER, Güliz.; ASKEGAARD, Soren. The fire of desire: a multisited inquiry intoconsumer passion. Journal of Consumer Research, v. 30, n. 3, 2005, p. 326-351. Disponívelem: https://doi.org/10.2139/ssrn.354640. Acesso em: 16 dez. 2019.

BELK, Russell; WALLENDORF, M.; & SHERRY, J. F. The sacred and the profane in consumerbehavior: theodicy on the odyssey. Journal of Consumer Research, v. 16, n. 1, 1989, p. 1-38.https://doi.org/10.1086/209191. Acesso em: 13 abr. 2020.

BOURDIEU, Pierre. The forms of capital. In: RICHARDSON, John (ed.) Handbook of theoryand research for the Sociology of Education. New York: Greenwood, 1986. p. 241–58.

BOURDIEU, Pierre. Genesis and structure of the religious field. Comparative SocialResearch, v. 13, n. 1, 1991, p. 1-44,. Disponível em: https://docs.google.com/file/d/0BxEZ9xOtQkn2X1RWZHVTZTdyMUk/edit. Acesso em: 30 abr. 2020.

CALIANDRO, Alessandro. Digital methods for ethnography: analytical concepts forethnographers exploring social media environments. Journal of Contemporary Ethnography,v. 47, n. 5, 2018, p. 551-578. Disponível em: https://doi.org/10.1177/0891241617702960.Acesso em: 23 jun. 2020.

CAMPOS, Leonildo Silveira. As origens norte-americanas do pentecostalismo brasileiro. Revista USP, n. 67, 2005, p. 100-115. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/revusp/article/download/13458/15276. Acesso em: 04 out. 2018.

CEZAR, Marina Seibert. A estética como comprovação da devoção. Revista dObra[s](on-line), v. 4, n. 10, 2010, p. 97-105. Disponível em: https://doi.org/10.26563/dobras.v4i10.190. Acesso em: 14 jul. 2020.

COVA, Bernard; COVA, Véronique. Faces of the new consumer: a genesis of consumergovernmentality. Recherche et applications en marketing (english edition), v. 24, n. 3,2009, p. 81-89. Disponível em: https://doi.org/10.1177%2F205157070902400304. Acessoem: 03 ago. 2020.

FERREIRA, Ismael de Vasconcelos. Ascetismo e sectarismo no pentecostalismo clássico dasAssembleias de Deus. Protestantismo em Revista, São Leopoldo, v. 39, 2015, p. 21-35.Disponível em: http://dx.doi.org/10.22351/nepp.v39i0.2455. Acesso em: 16 dez. 2019.

FONSECA, André Dioney. Os impressos institucionais como fonte de estudo dopentecostalismo: uma análise a partir do livro história da convenção geral das Assembleiasde Deus no Brasil. Revista Eletrônica História em Reflexão, Dourados, v. 3, n. 5, 2009a,p. 1-21. Disponível em: http://ojs.ufgd.edu.br/index.php/historiaemreflexao/article/view/206/183. Acesso em: 27 ago. 2018.

FONSECA, André Dioney. São Cristóvão e Santo André: os debates sobre a normatização dosusos e costumes nas convenções gerais das Assembleias de Deus no Brasil (1930-1980). Sacrilegens, Juiz de Fora, v. 6, n. 1, 2009b, p. 41-59. Disponível em: http://www.ufjf.br/sacrilegens/files/2010/04/6-5.pdf. Acesso em: 23 mar. 2020.

FRESTON, Paul. Pentecostalism in Brazil: a brief history. Religion, v. 25, n. 2, 1995, p. 119-133. Disponível em: https://doi.org/10.1006/reli.1995.0012. Acesso em: 02 abr. 2020.

GARCIA, Carol; MIRANDA, Ana Paula Celso de. Moda é comunicação: experiências,memórias, vínculos. Coleção Moda & Comunicação. Coord. Kathia Castilho. São Paulo: Ed. Anhembi Morumbi, 2005.

HAN, Byung-Chul. Sociedade da transparência. Trad. Eni Paulo Gianchini. Petrópolis:Vozes, 2017.

IBGE. Censo Demográfico 2010 – características gerais da população – resultados daamostra. Tabela 1.4.1 – População residente, por situação do domicílio e sexo, segundo osgrupos de religião – Brasil – 2010. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas/sociais/populacao/9662-censo-demografico-2010.html?=&t=downloads. Acesso em: 8abr. 2020.

JACOBS, Arnold J. The year of living biblically. New York: Simon & Schuster, 2007.

MCALEXANDER, James. H.; DUFAULT, Beth Leavenworth; MARTIN, Diane. M.; SCHOUTEN,John. W. The marketization of religion: field, capital, and consumer identity. Journalof Consumer Research, v. 41, n. 3, 2014, p. 858-875. Disponível em: https://doi.org/10.1086/677894. Acesso em: 4 jan. 2020.

MCCRACKEN, Grant. Cultura e consumo: novas abordagens ao caráter simbólico dos bense das atividades de consumo. Coleção Cultura e Consumo. Tradução Fernanda Eugênio.Revisão Everardo Rocha. Rio de Janeiro: MAUD, 2003.

MACIEL, Eduardo Jorge Carvalho; MIRANDA, Ana Paula Celso de. DNA da imagem demoda. In: Colóquio Nacional de Moda, 5, 2009. Recife. Anais [...]. São Paulo: Abepem, 2009.Disponível em: http://www.coloquiomoda.com.br/anais/Coloquio%20de%20Moda%20-%202009/ Consumo-de-Moda/. Acesso em: 1º jun. 2020.

MIRANDA, Ana Paula Celso de; ROCHA, Ana Rachel Consumption and constraint: muslimwomen fashion and identity. In: Congresso Internacional de Moda e Design – CIMODE, 2016, Buenos Aires. Anais do Congresso Internacional de Moda e Design – CIMODE, 2016.

MULINA, Franciani Fernandes Galvão. Liminaridade e cultura de consumo: objeto eexpressão de consumo do neófito da religião protestante. 2019. 239 f. Tese (Doutoradoem Administração) – Programa de Pós-graduação em Administração, Faculdade deAdministração, Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2019.

O’GUINN, Thomas; BELK, Russell. Heaven on Earth: consumption at heritage village, USA.Journal of Consumer Research, v. 16, n. 2, 1989, p. 227-238. Disponível em: https://doi.org/10.1086/209211. Acesso em: 18 ago. 2020.

PENN, Gemma. Análise semiótica de imagens paradas. In: BAUER, Martin.; GASKELL, George.Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. 5. ed. Petrópolis:Vozes, 2002. p. 319-342.

PORTELLA, Rodrigo. Pentecostalismo clássico e valores de autonomia: sobre o podersimbólico das representações pentecostais. Revista de Teologia (Reveleteo), v. 6, n. 10,2012, p. 3-15. Disponível em: https://doi.org/10.23925/2177-952X.2012v6i10pp.%2003-15. Acesso em: 16 dez. 2019.

RAUF, Ateeq Abdul; PRASAD, Ajnesh.; & AHMED, Abdullah. How does religion discipline theconsumer subject? Negotiating the paradoxical tension between consumer desire and thesocial order. Journal of Marketing Management, v. 35, n. 5-6, 2019, p. 491-513. Disponívelem: https://doi.org/10.1080/0267257X.2018.1554599. Acesso em: 13 dez. 2019.

RENTAS VEGA, Ananís. (Un)spoken codes: Is the new generation breaking the Pentecostaldress code?. Major papers by master of science students. Paper 7. 2019. Disponível em:https://digitalcommons.uri.edu/tmd_major_papers/7https://digitalcommons.uri.edu/tmd_major_papers/7. Acesso em: 5 mar. 2020.

SANDIKCI, Özlem; GER, Güliz. Veiling in style: how does a stigmatized practice becomefashionable?. Journal of Consumer Research, v. 37, n. 1, 2010, p. 15-36.Disponível em: https://doi.org/10.1086/649910. Acesso em: 4 jan. 2020.

SOBH, Rana; BELK, Russel; GRESSEL, Justin. Modest seductiveness: reconciling modesty andvanity by reverse assimilation and double resistance. Journal of Consumer Behavior, v. 11, n.5, 2012, p. 357-367. Disponível em: https://doi.org/10.1002/cb.1379. Acesso em: 4 jan. 2020.

SOBH, Rana; BELK, Russel; GRESSEL, Justin. Mimicry and modernity in the Middle East:fashion invisibility and young women of the Arab Gulf. Consumption Markets and Culture,v. 17, n. 4, 2014, p. 392-412. Disponível em: https://doi.org/10.1080/10253866.2013.865166. Acesso em: 4 jan. 2020.

TERRACIANO, B. O discurso da moda nas redes sociais. Revista dObra[s] (on-line), v. 6,n. 14, 2013, p. 117-127. Disponível em: https://doi.org/10.26563/dobras.v6i14.80. Acessoem: 14 jun. 2020.

VERTER, Bianca. Spiritual capital: theorizing religion with Bourdieu against Bourdieu.Sociological Theory, v. 21, n. 2, 2003, p. 150-74. Disponível em: https://doi.org/10.1111/1467-9558.00182. Acesso em: 14 jun. 2020.

Publicado
2021-04-14
Como Citar
ALMEIDA, R. D. DE; CASOTTI, L. M.; MIRANDA, A. P. C. DE. Negociações simbólicas das regras religiosas do vestir em postagens no Instagram. dObra[s] – revista da Associação Brasileira de Estudos de Pesquisas em Moda, n. 31, p. 237-261, 14 abr. 2021.
Seção
III. Objetos, marcas e valores da moda no social